Passarela do Samba - Carnaval 2008 termina com avaliação positiva na área da saúde.

01 a 05/02/2008

O Carnaval Natureza 2008 promovido pela Prefeitura Municipal de Campinas aconteceu sem muitos atendimentos no Pronto Atendimento montado pelo SAMU 192 CAMPINAS para o apoio de saúde.

Um espaço de 250 m2 divididos em Sala Vermelha/ Emergência, Sala Amarela/ Urgência, Observação Masculina e Feminina e um almoxarifado além de todos os equipamentos e materiais foram suficientes para dar suporte a todas as situações que pudessem ocorrer na passarela do Samba.

Balanço diário:

Dia 01 – Realizamos 66 atendimentos onde apenas 10 foram por motivos de excesso de bebidas alcoólicas.

Dia 02 – Realizamos 120 atendimentos, sendo a maioria por ingesta de bebidas alcoólicas. 

Dia 03 – Realizamos 45 atendimentos, sendo apenas 8 relacionados a bebida.  Uma ocorrência causou a necessidade de urgência quando a equipe foi acionada para dar atendimento a 02 jovens caídos. Ao de deparar, um deles apresentava depressão respiratória pelo uso de crack e maconha. Foi acionada a viatura e equipe médica da UTI que atendeu prontamente sendo levado ao Pronto Atendimento loca, estabilizado e posteriormente sua melhora, levado a um hospital para observação. 
Outro caso que mereceu cuidados foi de uma mulher que escorregou e o queixo em uma cadeira onde apresentou perda motora de todos os membros transitória (TRM) sendo levada para exame radiológico.

Dia 04 – Realizamos 98 atendimentos, onde apenas 12 foram relacionados ao uso de bebida.

Dia 05 – Realizamos 110 atendimentos onde apenas 18 foram causados por excesso de bebida.

A proibição de venda de bebidas destiladas no recinto determinada pela Coordenação Geral do Evento foi responsável pelo baixo número de atendimentos relacionados a alcoolismo agudo.

Os demais atendimentos tiveram como causa crises hipertensivas, contusões, entorses, cefaléias, crise asmática e pequenos ferimentos com necessidade de sutura, que também foram realizados no local.

Foram transferidos apenas 06 pacientes devido ao espaço, que se tornou insuficiente no dia 02, o caso do rapaz com uso de crack.

Com um publico de 70 a 100.000 pessoas, os casos foram considerados de baixa complexidade.

A necessidade da estrutura que foi montada é necessária, apesar do número considerado baixo.

  • A prontidão do atendimento (tempo resposta) é uma questão importante que garante a segurança da população 

  • O espaço adequado garante segurança aos profissionais nos diversos tipos de atendimento que possam acontecer,

  • A iluminação e higienização do local, mantendo um espaço com característica de ambiente hospitalar,

  • Os diferentes ambientes onde garantiram desde a avaliação inicial e a observação das pessoas atendidas,

  • Viaturas para o socorro e transporte até ao Pronto Atendimento local e que pode ser usado também para transportar aos serviços de urgência caso necessite de alguma avaliação ou exames complementares.

  • Uma equipe capacitada e experiente que está acostumada a lidar com situações extremas não deixando de lado a educação e o carinho aos pacientes.

E por fim, segundo segurança a todos que estiveram no local e o espaço adequado e seguro garantiram o atendimento de praticamente todos os atendimentos no local e um menor número de transportes aos serviços de urgência e emergência.

250 metros quadrados – um pronto atendimento

 Sala de Avaliação Inicial

Corredor com acesso as salas de atendimento 

Sala Vermelha – Sala de Emergência

Sala Amarela – Sala de Urgência 

Sala Verde – Observação

Almoxarifado e Conforto da equipe

Higiene e conforto: Pia com água e ar condicionado

Equipe de Profissionais Capacitados e de Altíssimo Padrão Técnico

Viaturas de Apoio – 01 VSA + 02 VSB

Público presente: 70.000 a 100.000 pessoas

Agradecemos o reconhecimento da equipe da Secretaria de Cultura em especial ao Secretário Lagos que autorizou e forneceu os itens solicitados pelo Coordenador Dr. José Roberto Hansen e que nos permitiu trabalhar dignamente.