SAMU vai integrar grupo do Ministério da Saúde

03/07/2008

Autor: Denize Assis

O SAMU 192 da Secretaria de Saúde de Campinas, por meio do seu coordenador, o médico José Roberto Hansen, vai integrar o Grupo de Consultores Externos da Coordenação Geral de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde. Hansen será responsável pelos indicadores de qualidade de gestão dos SAMUs. Além dele, mais quatro profissionais da área de urgência e emergência de outros municípios brasileiros foram convidados para fortalecer a equipe de trabalho.

O convite para a integração ao grupo foi feito durante o 1º Congresso Brasileiro de Atenção às Urgências e do II Congresso da Rede Nacional SAMU 192, ocorrido em Brasília entre 24 e 28 de junho.

Hansen juntamente com outros profissionais do SAMU Campinas, participou do evento, durante o qual o Ministério da Saúde capacitou mais de 2,5 mil profissionais da Rede SAMU 192 e de outros setores da urgência e emergência de todo País em 13 cursos.

Foram debatidos, nos quatro dias, os fluxos para enfrentamento das situações de risco, desde a chamada do cidadão para o SAMU 192, à intervenção adequada, o encaminhamento da vítima para o pronto-atendimento, ou para um hospital que seja resolutivo naquela condição específica.

Paralelamente à capacitação desses profissionais de saúde, foram planejadas as redes de atenção às urgências em três segmentos prioritários. O primeiro deles diz respeito aos acidentes cardiovasculares. Todas as repercussões com relação às doenças cardíacas foram abordadas prioritariamente, por terem um maior impacto.

Em segundo lugar, os acidentes vasculares cerebrais, principalmente do tipo isquêmico, que têm grande impacto na população. Em terceiro lugar, o que é chamado de ‘causas externas’, que são os agravos à saúde provocados principalmente pelo trauma.

O Ministério da Saúde acredita que só poderá melhorar esses atendimentos com investimentos em capacitação, formação dos profissionais, alinhando-os com esse propósito e dotando-os de ferramentas e conhecimento adequado. "É a partir disso que teremos uma resposta em relação ao enfrentamento das urgências", disse Cloer Vescia Alves, coordenador-geral de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde.

Continuidade

Segundo o Ministério da Saúde, o atendimento não se encerra com a chegada do paciente ao hospital. É importante que toda continuidade desse atendimento à vítima ocorra também na etapa intra-hospitalar. "Abrimos a discussão voltada à atenção hospitalar para que se acompanhe essa vítima, dentro do hospital. É preciso que seja estabelecido um fluxo ágil e organizado para que dentro do hospital também não se perca tempo", explicou o coordenador-geral do ministério.

Outro aspecto abordado no congresso foi a proposição de que a Rede SAMU 192 passe a estabelecer uma articulação mais forte com as demais entidades e atores da área de enfrentamento a acidentes com múltiplas vítimas, desastres e catástrofes, como a Defesa Civil, as Forças Armadas, o Corpo de Bombeiros, as polícias e outras tantas instituições.