Frota do Samu/Campinas é reforçada com monitores cardíacos e desfibriladores

02/05/2005

Denize Assis

A frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), da Secretaria de Saúde de Campinas, foi reforçada a partir da última segunda-feira, dia 2 de maio, quando as três viaturas de suporte avançado – aparelhadas com Unidade de Terapia Intensiva (UTI) - passaram a contar com monitores cardíacos e desfibriladores. Os equipamentos foram fornecidos pelo Ministério da Saúde, que também enviou para o serviço uma incubadora neonatal, que faz transporte inter-hospitalar de recém-nascidos.

Os monitores cardíacos e desfibriladores são equipados com mais funções, entre as quais marcapasso externo, oximetria e eletrocardiograma com 12 derivações, que auxiliam no diagnóstico precoce e na monitorização do transporte do paciente grave. Segundo o médico emergencista José Roberto Hansen, coordenador do Samu/Campinas, estes aparelhos médicos possuem uma tecnologia avançada e podem ser usados tanto manualmente como de forma automática.

"O reforço nos equipamentos médicos permite que Campinas melhore e amplie ainda mais a assistência prestada à população nos casos de urgência", diz Hansen. De acordo com o coordenador, do total de atendimentos prestados mensalmente pelo Samu/Campinas, pelo menos 150 tratam-se de casos com quadro cardiológico que necessitam deste aparelho para completar o diagnóstico.

Disponibilidade. A população de Campinas conta com o Samu, que atua conforme modelo proposto pelo Ministério, há nove anos. A unidade, da Prefeitura, presta atendimento de urgência e emergência no local onde o cidadão se encontra e, se necessário, após estabilizar a vítima, transporta-a para um serviço médico. O serviço atende às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e psiquiátrica.

Para tanto, o serviço conta com equipes de suporte básico (motoristas, socorristas, auxiliares e técnicos de enfermagem), capacitadas para atendimento das urgências com risco moderado de vida e equipes de suporte avançado (motoristas, médicos e enfermeiros) para atendimento das urgências graves, que necessitam resposta imediata e intervenção mais complexa.

Além da frota de 26 veículos, o Samu/Campinas conta com central de regulação médica de urgência para coordenar os atendimentos. A central funciona 24 horas por dia sempre com a presença de um médico. O médico regulador vai avaliar as necessidades de cada pedido de ajuda e dará a melhor resposta para cada caso, que pode ser uma orientação, um conselho ou o envio de uma ambulância.

O Samu/Campinas recebe 5,5 mil chamados por mês e ainda realiza o transporte de 2,5 mil pacientes crônicos, que, sem recursos próprios, carecem de ser transportados para serviços de hemodiálise, fisioterapia, radioterapia e quimioterapia. Para acionar o Samu, basta um telefonema gratuito para o número 192.