Samu simula acidente para orientar população sobre procedimento adequado

07/04/2004

Paloma Lopes

Dentro das comemorações do Dia Mundial da Saúde, cujo tema deste ano foi a prevenção de acidentes de trânsito, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) realizou, na tarde de ontem, uma simulação de acidente envolvendo dois veículos no Largo do Rosário.

O evento, que contou com a presença de autoridades do poder público, teve o objetivo de divulgar para a população todos os passos de um atendimento de urgência em casos de acidentes de trânsito. Em Campinas, o Samu atende mensalmente cerca de 2 mil ocorrências, das quais 13% são de correntes de acidentes de trânsito.

De acordo com José Roberto Hansen, coordenador do Samu, na maioria das simulações as pessoas não entendem os procedimentos utilizados pela equipe. "Quisemos, neste evento, explicar parte a parte tudo o que acontece quando os feridos são atendidos por nossa equipe", explicou.

A simulação atraiu um grade número de curiosos, principalmente quando chegaram as duas ambulâncias com as respectivas sirenes ligadas. O auxiliar administrativo Júlio César Franco elogiou a iniciativa. "Achei muito interessante; apesar de dirigir há muitos anos, eu não sabia quais as etapas de um atendimento de urgência.

Além disso, já presenciei acidentes na rua e ficava completamente sem saber o que fazer nessa situação", disse.O Samu é um serviço que chega rapidamente às pessoas, em qualquer lugar que se encontrem, após um acidente ou qualquer agravo à saúde que possa levar ao sofrimento ou até mesmo à morte.Para acionar o serviço basta um telefonema gratuito para o número 192. A pessoa deve ter calma e informar à telefonista seu nome, a relação que tem com a vítima, o nome do paciente, endereço, bairro, ponto de referência para o atendimento e telefone.Depois de passar pela telefonista, o usuário é atendido pelo médico regulador, que solicita informações sobre o caso. A partir destas informações é que é liberada a viatura mais adequada para o atendimento. A pessoa pode ser atendida no local e ser liberada se apresentar melhora ou, dependendo da gravidade do caso, ser encaminhada a um pronto-socorro (PS).